quinta-feira, 5 de novembro de 2009

PLC 122/2006

A pergunta no site do Senado Federal é: Você é favorável à aprovação do projeto de lei (PLC 122/2006) que torna crime o preconceito contra homossexuais?
Por incrível que possa parecer, o sim, que significa a criminalização do preconceito, às 16h51min de hoje havia sido clicado somente por 44% dos 49.231 votantes! Outros 56% votaram na não criminalização! São 27.569 pessoa!
Obvio que tal votação não vinculará a decisão de "nossos parlamentares", mas é um péssimo sinal sobre as pessoas que dividem essa terra conosco!
Se puderem e quiserem votem, ajudem a mudar o placar que, apesar de somente simbólico, é triste! A enquete está bem abaixo do link da Rádio Senado!
Com dica da Lua Castro.

11 comentários:

Mauricio disse...

"Sou composta por urgências: minhas alegrias são intensas;minhas tristezas, absolutas. Me entupo de ausencias, me esvazio de excessos. Eu não caibo no estreito, eu só vivo nos extremos"(clarice lispector)

Luana C. disse...

Impressionante como o Não está ganhando! Tentei votar mais de uma vez, mas não dá kkkkkkk.

Anônimo disse...

Obrigado meu amigo, votei. Mas votei CONTRA A CIMINALIZAÇÃO... explico.

Segundo eu li, esse projeto em linhas gerais fala que qq palavra que indique que a homossesualidade seja algo fora da normalidade, incomum, caracterizaria PRECONCEITO. Crime!

Ora meu amigo, todos nós sabemos que a maioria das religiões considera a homosexualidade como algo inadequado. E não estou falando somente dos Cristãos, sejam protestante ou catolicos. Os muçulmanos ( de todas etnias ) , judeus e até espiritas comungam dessa mesma opinião. Então como vai ficar a liberdade religiosa ( que é TB um direito tb fundamental )???. Padre, pastor , ou qq pessoa que falar q " a pratica homosexual não é adequado" , pode ser preso por CRIME. Mas é a fé do cara...Existe um choque aih muito mais relevante q uma lei como esta apenas criará mais problemas q solução.

Cara, sou contra qq tipo de discriminação, de boa, seja sexual ou qq outra. Quero que isso fique claro!!

Mas não podemos esquecer a liberdade religiosa, entende? É um direito também! A lei coloca em choque direitos básicos. Vc é advogado sabe que isso é complexo de se resolver.

Há de se encontrar uma forma razoável! Esse projeto não me parece ser a solução de um problema e sim ele cria muitos outros.

É o que penso...

W

Tanto! disse...

W,

Seu ponto de vista é muito interessante. Logicamente o direito de uns começa onde termina o de outros, sem que ninguém possa se sobrepor. Quero acreditar que a lei, a criminalização, poderá combater mazelas que sabemos que existem e são muito destrutivas. Pessoas não matam anões ou carecas na rua, por serem diferentes. Mas pessoas matam homosseuxuais! Vai entender, pois ninguém deveria matar ou disriminar outra pessoa somente por não ser igual ao que se acha correto.

No mais, diante do teu argumento, acho que o ideial seria procurar um meio termo que defenda a liberdade de um religioso se manifestar contra, mas também defenda minoria que sofre bastante.

Obrigado pelo debate!

Marco Antonyo disse...

É engraçado vc fazer essa pergunta em um país machista e homofobico. É lógico que o Não vai ganhar. Uma maioria não pode decidir por uma minoria. Cabe ao Estado fazer valer o direito da minoria!

Tanto! disse...

Sim Marco. Felizmente a pergunta não vincula, é somente uma forma de consulta não oficial. Não sei bem a finalidade, mas...

Anônimo disse...

Nando, repito, entendo o problema , sei q existe homofobia e machismo como o rapaz acima fala.

Tem de se arrumar formas de se coibir exageros como o q vc fala acima. Agridir fisicamente, matar alguém, já é crime, não precisa dessa lei para que ela se cumpra, concorda?

Não grides carecas na rua ( ufa ) mas existe violência fisica e moral contra negros, nordestinos, portadores de deficiência fisica e/ou mental, etc. Sou contra todo tipo de injustiça tb. Estou na verdade sendo , tentando, ser prático.

A questão é q essa lei tem falhas, não resolve o problema e cria outros. Perda de tempo pq tb duvido que passe.

Mas vale o debate kkkkk

Robson Almeida disse...

Pronto... agora o assunto é viadagem e/ou sapatalidade!!
Bem, vejamos...
Um dia eu recebi um e-mail de uma amiga que era contra terem matado aquele bandido, lá no Rio, que ameaçava a vida de uma senhora mãe de família, com uma granada de mão. Questionei a contrariedade dela e disse que isso a gente lamenta porque não é com entes amados por nós. Fica fácil!!... E que se fosse, por exemplo, com os flhos dela que tanto ela ama, tenho certeza que ela iria, sim, desejar a morte do cara, sem essas frescurites todas de "direitos humanos" e babaquices teóricas desse tipo, que gosto de ignorar.
Ora, os gays!.. Muito bem.. muito bem!
Sejamos práticos...
Não sou contra a viadagem, mesmo porque tenho amigos viados que são gente boa!
O que sou contra é quanto á atitude de muitos viados que existem por aí que são pegajosos, vulgares ao extremo, que não sabem se portar e acham, por serem gays e discriminados, que podem tudo.
Na passeata gay de Belém, inclusive, li em algum artido da mídia que aquele muro do African Bar, virou boquetródomo à céu aberto. Ora, como exigir respeito dessa forma?
Acho que a lei tem que ser simples e direta, conforme segue.
Art 1. Se você é viado e não respeita ninguém ao seu redor... foda-se e vá procurar o seu direito na casa do $@#%&@@...
Art. 2. Se você é gay e sabe se portar, sem querer estar alisando as pessoas, exija seus direitos!
Pronto... fim da Lei!
Fernandel, meu caro amigo, me diga aí, você que é defensor da tal Lei. Você iria gostar se um gay chegasse ao seu lado e ficasse lhe alisando, falando um monte de merda com aquele sotaque feminino forçado, tentando te apalpar? Responda com sinceridade!!
Agora, cuidado na resposta, porque se tu disseres que és contra isso, serás acusado de "homofóbico". Ou seja, pelo que entendo dessa baboseira toda, nós temos que aguentar tudo que vem de lá, calados.. hahahahahahahaha... acredite!

Tanto! disse...

Olha, Robson.

Não sou a favor de "viados" ou contra "neo-nazistas"! Sou contra preconceito, discriminação ou qualquer forma de tratamento que não condiza com o mínimo de respeito, seja contra homens, mulheres, animais, carecas ou anões.

Na Parada Gay, em Belém, podem ter ocorridos excessos, mas excessos ocorrem em todos lugares, inclusive dentro de Igrejas, boites héteros (recentemente tivemos a situação, lembram, de um vídeo porno gravado dentro de uma escola pública, aqui em Belém, tendo como protagonistas três estudantes de 13, 15 e 17 anos?). E os excessos ocorridos dentro de centenas de casas, todos os dias, pais e parentes abusando sexualmente de crianças?

Então, por execssos, não podemos dizer que todo o estudante público é ruim, que todos os pais são escrotos, que todos aqueles que vão a boites são safados ou que todos os padres sejam pedófilos. Da mesma forma, não podemos dizer que todos o gays são pervertidos, com base em um grupo que resolveu fazer sexo no meio da rua, durante a Parada Gay!

Sempre existe o joio, e sempre existe o trigo. Em tudo (cabe a nós separar).

No mais, tenho muitos amigos gays e são todos pessoas maravilhosas, assim como são todos os meus amigos! Se eu acho que a pessoa não presta, que não é companhia para mim e meus filhos, seja hétero ou homo, pode ter certeza que não será meu amigo.

Ainda, nunca tive problemas com homens me alisando ou falando um monte de merda, pois sempre soube me portar e receber das pessoas respeito. Logicamente loucos sempre aparecem, mas podem ser homens ou mulheres e, nesse caso, não existe porte ou atitude que te ajude contra investidas insanas!

O cuidado que temos que ter, em ambos os casos, o que seria o ideal, é conseguir chegar a um meio termo (o Caminho do Meio de Sidarta), sem nenhum radicalismos, seja daqueles que são contra a lei, seja daqueles que são a favor da lei.

Eu sou a favor da lei, a favor da criminalização do preconceito contra homossexuais pois acredito, sobretudo, na justiça e nos homens (Pois é! Ainda acredito), mas respeito e defendo os que têm opiniões diferentes.

Espero ter respondido tudo. Se não, manda mais!

Abraços.

Anônimo disse...

KKKKKKKKKK esse é o Robson , Prostituto da vida. Desconfio que o estilo Macho man de nosso amigo já o colocou em algumas situações curiosas.

Mas não percam o foco. A questão aqui é a lei atual que é mal feita.
Sou contra o preconceito. MNs sou mais contra ainda querer "resolver" uma questão criando problemas piores.
E tenho dito...

Robson Almeida disse...

hahahahahahaha... me respeita, careca dos demônios.

Olha só, meu caro Fernandel. É como te falei, tudo relativo à isso, na teoria, é lindo. Mas, nós dois, que somos notívagos ao extremo, sabemos que há sim, viados "enxeridos" que não sabem ter a noção exata de até onde está o limite deles. O que me deixa puto com essa tal lei é que, se tu estiveres em uma boate e aquele viado, todo cabeludo, barbudo, nojento mesmo, começa a te olhar insistentemente, aquela coisa que constrange qualquer um, tu não poderás processar o filho de uma mãe porque estarás sendo um cara preconceituoso, homofóbico e tudo o mais. O pior seria se o carinha resolvesse se aproximar de ti e te cantar, na moral. Veja bem, estamos falando de um homem te passando a conversa... hahahahahahaha. Porra Nando, para com isso, é lance pra sentar o punho na boca do cidadão. Porém, como ele é viado, não poderás fazer isso pois estarás sendo fora da lei. Quer dizer, se o carinha fosse um homem genuíno e eu saísse na porrada com ele, tudo bem. Como ele é viado, não posso tocar nele... Entendes agora onde está o erro dessa lei?... É tipo essa porra de lei que protege esses bandidos safados que existem por aí e que é endossada pelos tais "direitos humanos". Tenho amigos viados que sabem se portar, que não ficam cantando, alisando e muito menos encarando os carinhas que eles ficam afim. Aí sim, sem problemas.
Viado ou homem, pegajoso e sem nenhum pudor, tem que levar uns catiripapos sim, a meu ver... Ora, onde já se viu neguinho todo cabeludo me alisar...