terça-feira, 10 de novembro de 2009

Enquete fraudada!

No dia 26 de outubro informei sobre uma enquete no sitio do Senado. A pergunta era: “Você é a favor da aprovação do Projeto de Lei (PLC 122/2006) que pune a discriminação contra homossexuais?”. Informei também que na votação ganhava o NÃO, ou seja, que a discriminação não fosse punida! O post foi bem polêmico, e tal polêmica acaba se revelando em tudo: hoje me espanto com a seguinte matéria, no Portal Imprensa – “Hackers atacam enquete do Senado sobre lei contra discriminação de gays”. Segundo a notícia de Eduardo Neco, em uma hora e meia foram computados cerca de 250 mil votos, sempre com o não na dianteira. Em dois dias e meio, já era meio milhão de votos (“Até então, a pesquisa mais votada tinha obtido cerca de 360 mil votos, mas em um período de trinta dias”). A enquete seria zerada por não se conseguir separar voto válido de voto hackeado, mas até hoje, no sitio do Senado, estava fora do ar. Mas a matéria já foi aprovada pela Comissão de Assuntos Sociais do Senado!

5 comentários:

Anônimo disse...

Tsic.

Mas não vai até o fim...

W

Luana C. disse...

Gente, fraudam até enquete! Pelo menos foi descoberta a fraude e a matéria será discutida no Senado. Que bom!

Tanto! disse...

Na verdade a matéria seria discutida de qualquer forma, visto que a enquete não vinculava, não obrigava os parlamentares a nada. Era somente consulta pública informal. Mas serve como termómetro de o quanto a matéria em si é polêmica! Fora os boatos de fraude em votação de reáliti chou, que nunca são comprovados, é a primeira vez que eu vejo uma simples enquete na rede ser fraudada!

Anônimo disse...

Também esta acontecendo com a enquete sobre o Ato Médico.Olha o que mandei para o Senado.

Excelentíssimo(a) Sr(a). Deputado(a):

Mais uma vez o povo brasileiro está sendo lesado, agora pelo Projeto de lei nº 268/2002 , que não possui nenhum respaldo popular. Neste exato instante está sendo efetuada, no site do senado federal, uma enquete sobre o Ato Médico. Esta enquete pode ser facilmente burlada por qualquer pessoa que saiba como fazer, podendo votar quantas vezes quiser. O andamento dos números mostrados pela enquete fazem suspeitar que isto esteja de fato ocorrendo (ex: grande número de votos durante a madrugada, principalmente para uma das partes, maciças votações para uma das partes que não ocorriam anteriormente). Se isto for verdadeiro então outras enquetes podem ter sido burladas. É incrível, pois uma votação com população homogênea e com mais de 170.000 votos está totalmente definida. Só algo muito estranho pode mudar seu rumo. Pergunte a qualquer profissional do IBGE: se ele pudesse fazer uma pesquisa de boca de urna com 170.000 amostras e a população votante for homogênea, ele admitiria uma margem de erro maior que 0,1% ? No entanto os rumos da enquete mostram variações superiores a 4% em questão de poucos dias. Realmente inacreditável.

Até já recebi emails mostrando como é feita a fraude:
1- Usando o navegador Mozilla Firefox abra o site onde está a enquete: http://www.senado.gov.br/agencia/default.aspx?mob=0
2- Na primeira vez vote normalmente
3- Após votar abra a aba Ferramentas e dentro dela...
Propriedades da página...
Segurança ... Exibir cookies
4- Marque todos cookies mostrados e exclua-os (EXCLUIR ou deletar)
5- Volte para a página do senado e faça um REFRESH (aquela seta circular que tem no topo, no lado esquerdo)
6- Vote novamente
7- Repita quantas vezes quiser (volte ao passo 3)

Para maior facilidade não feche a aba COOKIES, após votar basta voltar nela e deletar os cookies existentes lá. A fraude pode ser executada com qualquer navegador de internet que aceite cookies (praticamente todos), porém com o Firefox fica mais rápido, pois ele já mostra os cookies que devem ser deletados para permitir nova votação.

O nível de segurança da votação é tão simplório que é possível até mesmo criar programas de computador para votar automaticamente. Existem programas de computador livremente vendidos no comércio que resolvem automaticamente o problema do “CAPTCHA” (aquele número que tem que ser digitado manualmente para confirmar a votação). Com esta parte já pronta, não é preciso ser um gênio em informática para fazer um programa de votação automático. Pelo exposto acima, o andamento da votação faz supor-se que possa estar sendo usado um programa deste tipo por uma das partes.

Tanto disse...

Anônimo acima,

Se puder me passar maiores informações e se identificar, gostaria de noticiar isso!