quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Indigesto

Estou chocado com as cenas que vejo no blog Boteco Sujo, que mostram fato ocorrido no dia 22 de outubro. São centenas de pessoas gritando “puta, puta” para uma mulher que ousou usar uma mini-saia. As centenas de pessoas não estão em um estádio de futebol (onde vale quase tudo, até acertar os outros com sacos de mijo e merda!), nem em um presídio durante uma rebelião (onde realmente vale tudo). Essas pessoas que execram publicamente a mulher são alunos e alunas da Uniban, Universidade Bandeirantes, instituição particular de ensino superior de São Paulo, da qual nunca escutei falar, e onde a mulher, aluna, estuda Turismo.

Segundo informações em diversos sítios que li, a aluna ousou usar a mini-saia e foi ameaçada de estupro. Ao correr e se trancar em uma sala, para se proteger, viu surgir diante de si um furacão de alunos que a ameaçavam e humilhavam, alunos que saiam de suas aulas para ver o circo armado, tendo as aulas, inclusive, sido suspensas.

As cenas na internet são chocantes e mostram pessoas (mulheres inclusive) filmando enquanto gritam “puta, puta”, sem demonstrar qualquer tipo de constrangimento ou vergonha. Isso tudo diante da mulher que sai sob escolta militar, protegida por uma bata de professor, e que ainda tenta guardar um pouco da dignidade que lhe era permitida.

Eu me pergunto: Como assim??? Ameaçar mulher de estupro é crime, não é? Vale isso agora, pelo uso de uma roupa, qualquer que seja ela? Ou melhor, vale tal ameaça qualquer que seja a situação?

Com cursos a partir de R$-199,00, a Uniban não tomou nenhuma atitude a não ser a triste declaração do representante da unidade, lida em O Virgula: "ela deu causa, ela deu motivos"! Vozes diversas se levantaram por toda a rede, em um grito unido de revolta. Nos próprios comentários do vídeo intitulado puta sendo expulsa da uniban:
Bando de marginais, isso é pior que um presídio
Você deve estar muito orgulhoso de ter feito parte desse linchamento, desse show de misoginia e hipocrisia. O título que vc deu ao seu vídeo não deixa dúvida disso. Aproveite para exibi-lo em casa, não prive sua família de ver a sua obra. Certamente ficarão todos orgulhosos do "filhão".

Não tenho muito mais o que dizer! Sou pai de uma filha, e filho de uma mãe. Certamente faltou mãe para muitos destes (ou irmãs, ou primas, ou avós, ou amigas, ou mulheres quaisquer), e espero que mudem antes que tenham suas filhas.

E depois disso tudo, indigesto, faço minhas as palavras de Rosana Hermann:

Acho que vou dormir.
O mundo está assustador hoje.

7 comentários:

Luana C. disse...

Um absurdo isso! Inacreditável! Revoltante!

Lu disse...

Incrivel que isso acontece no mesmo país onde as maiores (sub)celebridades sao mulheres semi nuas rebolando... Eu morro e nao vejo tudo. Como diz um amigo meu, vou doar minhas corneas... ¬¬

Tanto! disse...

Verdade Lu! Incrível que a revista mais vendida seja a Playboy, que o carnaval resulte em briga por quem mostra mais, e uma estudante passe por isso!
Mas não venda suas corneas não (pelo menos, ainda não!). Ainda há muita coisa bonita a ser vista!

Anônimo disse...

Eu custei a comentar pq nao queria parecer muito emocional.... é algo tão patético, surreal. Contudo, essa barbaridade é uma real de nossa sociedade hoje...esse aí foi só o mais recente.

W Mello

Anônimo disse...

Nossaaa que estupidez!!!
Lei maria da penha neles heim
rsrsrs

Anônimo disse...

É esse país!!..onde vamos parar com tudo isso?ninguém mais tem a liberdade de ser e mostrar o q é. qual o futuro das crianças crecendo em mndo tão cruel,hipócrita e preconceitoso...está acabando a época de q a escola ela um ambiente saúdavel para as crianças.... é axo q vou acabar doando minhas corneas tambm. super revoltante. flor

Tanto! disse...

Por favor, amigos! Não vendam, ainda, suas córneas! Esperam um pouco mais... Vai que as coisas melhoram e vocês não podem mais ver...