quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Auto-Entrevista 01

Auto entrevista marcada por forte carga emocional e lampejos psicodélicos provocados pelo sono e saudade devastadora (02h34min – 20 de janeiro de 2010).

- Então ela chega hoje?

- Sim, chega hoje, finalmente. Mas parece que tudo conspira contra, não é?

- É sim. E a grande conspiradora de hoje é a lei da Física que rege a chegada das filhas...

- Sim, conheço! Aquela lei que diz: quando um pai saudoso espera sua menininha, todos os vôos vem carregados de menininhas que correm e pulam igual à esperada, somente para confundir e dar lampejos de esperança a um pai cansado da ausência. Mas ao menos ela chegará!

- Sim, mas com um grande atraso. Acabo de falar com a mãe e soube que ainda estão em Brasília! Parece que houve uma forte tempestade em São Paulo e todo o sistema aéreo ficou congestionado. A mãe pediu até para verificares, não foi?

- Foi sim, mas não encontrei nada na internet. Vai ver é desculpa da empresa.

- E o que fazem? Dormem?

- Não, matam o tempo como podem. Maria, pelo que a mãe contou, joga no seu portátil e anda em círculos vendo vitrines e simulando compras. Sabes a que horas chegam?

- Chegam perto da seis da manhã. Voltei para casa, darei uma soneca e retornarei mais tarde.

- Ainda voltas ao aeroporto!?

- Sim, quero vê-la o quanto antes. A saudade aperta muito.

- Verdade, estou roxo de sentir falta dela.

- Bem, acho bom você dormir um pouco, nem que sejam alguns minutos.

- Verdade. Senão nem consegues acordar na hora marcada.

- Obrigado pela entrevista.

- De nada.

2 comentários:

Anônimo disse...

Falando sozinho?

Ainda bem que ela chegou. já estavas ficando meio doido =)

Bocó.

Mônica disse...

É...só entende quem passa por isso, é realmente agoniante.
Mas o reencontro...não tem sentimento melhor no mundo, né?!

=*