domingo, 29 de agosto de 2010

Playmobil

Do nada - de repente, não mais que de repente - a cidade se encheu de carrinhos com sirenes e símbolos da PM. 
Ocupados por dois policiais (geralmente), os tais carrinhos começaram a marcar presença nas calçadas das ruas mais movimentadas e, não raro, passei a cruzar com eles quase que diariamente.
Logo descobri que se tratava de contrato para melhorar a segurança na cidade mediante a locação de viaturas novinhas para os milicos.
Louvável... Louvável... A PM está equipada e a frota poderá ser trocada mais facilmente.
Mas eu me pergunto: agora, faltando pouco mais de um mês para as eleições, tudo melhorou? A cidade estará bem policiada e não precisaremos mais entoar o "quem poderá nos salvar" de todo dia? 
Maravilha... Maravilha...
Mas por que isso tudo não foi feito nos três anos anteriores de governo? 
Por que não se pensou nesta salvação nos dias tenebrosos de diários assaltos com reféns, seqüestros relâmpagos e uma penca de gente morrendo por nada? 
Por que somente agora, governadora? 
Por que não antes?
Vislumbro três resposta: [1] talvez agora, diante do pleito que significa referendo ao seu governo, a governadora queira mostrar que a cidade está bem guardada, com ruas tranqüilas e pacíficas, praticamente uma Suécia; [2] além de maquiar as ruas, a Governadora também evita, com o aumento do policiamento, um crime bárbaro e cruel que poderia jogar contra si a opinião pública (e ela escapou por pouco de sofrer com isso, graças a Deus!, com a bravura da sobrevivência da Marina Eiro!); [3] talvez seja genuíno interesse na melhoria da segurança na cidade, a capital mais violenta do país.
Qualquer que seja a motivação, espero firmemente que tais carrinhos não sumam de nossas ruas e calçadas após o mês de outubro, não importando quem seja o vencedor nesta cidade que se vê entregue à bandidagem, os donos absolutos de nossas vidas.
Chego até a agradecer pelo fato de a cidade estar bem policiada - mesmo que somente agora.
Mas deixo dois pontos de reflexão - e espero que vocês REFLITAM:
[1] Já imaginaram os pobres militares em perseguição pelas ruas de Belém, os bandidos num carro motor 1.4 e os milicos num carro motor 1.0 (se bem que tal perseguição seria de cinco em cinco metros por conta dos constantes engarrafamentos)? Obviamente os bandidos têm maiores chances de ganhar a partida.
[2] Já pensaram se os militares, agora em maior número e equipados com muitas viaturas, começarem a prender bandidos de forma acelerada? Onde vão colocá-los? As cadeias das Seccionais estão abarrotadas, os presídios também! Será que eles ficarão nos porões do Palácio dos Despachos?

5 comentários:

Maick William O. Costa disse...

O quão óbvio é uma ação de renovação de frota da polícia militar às vésperas das eleições? Quando esses carros chegaram? Tive uma pessoa querida que sofreu assalto/seqüestro relâmpago exatamente na noite de ontem.

Um detalhe mais intrigante: Em recente episódio de assalto e seqüestro de um ônibus nas Filipinas vários carros fecharam o cerco do ônibus onde estava o sequestrador. Pasme: os carros eram sedans. (não lembro qual marca, mas provavelmente com motores potentes). NAS FILIPINAS!!!! Até quando. Parafraseando Gabriel, o pensador:

Até quando você vai ficar usando rédea
Rindo da própria tragédia?
Até quando você vai ficar usando rédea
Pobre, rico ou classe média?
Até quando você vai levar cascudo mudo?
Muda, muda essa postura
Até quando você vai ficando mudo?
Muda que o medo é um modo de fazer censura
(Refrão)
Até quando você vai levando porrada, porrada?
Até quando vai ficar sem fazer nada?
Até quando você vai levando porrada, porrada?
Até quando vai ser saco de pancada?

Bia disse...

Boa noite, Fernando:

seu post fica ainda mais grave quando o orçamento mostra que Ana Júlia recebeu em 2007, do Fundo Nacional de Segurança Pública-MJ, cerca de 8 bilhões, enquanto Jatene, no ano anterior, havia recebido pouco mais de 2 bilhões.

Além da suspeita licitação com a Delta, investigada pelo MP, o que se vê nas ruas, nas imitações do plymobil, é o risco permanente para o policial - carros sem potência e equipes incompletas - e sinal verde para a bandidagem ativa, pois os carrinhos não tem condições esteruturais de persegui-los em determinadas áreas.

E, complementando o comentário do Maick, em Fortaleza parte do patrulhamento urbano é feito com Mitsubishis.
Abração.

Bia disse...

Fernando,

uma fixação por estatísticas..rsrs... - não por elas, mas porque a partir delas se analisa realidades - me fez retornar aqui.

Acho que ficou impresso no inconsciente - ah! este poderoso inconsciente das pessoas que se acham conscientes - o erro. Não, não foram BIlhões transferidos pelo Min. da Justiça. Foram MIlhões.

Beijão.

Ana Paula disse...

é impressionante..
outro dia voltando do trabalho, a pé, como todos os dias, fiquei abismada com o número de policiais na Av. Nazaré, até tuitei perguntado se tratava da visita de alguma visita ilustre na nossa cidade, mas não...é só a cara de madeira da nossa governadora tentando maquiar a nossa cidade às vésperas da eleição!

Luiza Montenegro Duarte disse...

O pior é que sabemos o que vai acontecer: depois de outubro, acabou tudo, ainda mais se ela perder, como se espera.
Ana Júlia só esquece que a "tática-Duciomar", de reverter 60% de rejeição em três meses, não é tão eficaz no governo estadual. No município, joga-se um asfalto vagabundo aqui e acolá e se resolve. No Estado inteiro, é difícil reverter o caos que ela criou em três anos e meio.