sábado, 31 de julho de 2010

Insônia

Invejo a capacidade da Tainá de deitar e dormir como se não houvesse amanhã. Ela encosta e dorme. Ponto. Já eu, sobrevivo pelos cantos tal qual zumbi, me arrastando tal qual preso atado à corrente e à bola de ferro. Desgraça.

2 comentários:

Jane Murback disse...

Vim comentar esse post, porque o da Julia não consegui terminar de ler.

Mas também não poderei colaborar muito, porque superei minha insônia, por hora.

Bjo e bom sono.

Tanto disse...

Mas leia o da Cecília e da Júlia. É horrível a verdade de certas áreas de Belém. E que bom que se curou da insônia... pelo horário desta minha resposta, podes ver que eu não me curei.