sábado, 1 de maio de 2010

Grosseria de Val-Andre Mutran

Amarilis Tupiassu, minha mãe, teve entrevista publicada no jornal O Liberal sobre a divisão do Estado do Pará. Deu sua opinião e foi agredida de forma rasteira pelo jornalista Val-Andre Mutran, do blog Pelos Corredores do Planalto. O texto do agressor:

A verborragia de Amarilis Tupiassu
Publicado por Val-André Mutran as Sexta-feira, Abril 30, 2010
A professora da Universidade Federal do Pará Amarilis Tupiassu, deu uma aula magna de ignorância ao conceder entrevista a um jornaleco do Pará. Ao comentar a razão pela qual não quer nem ouvir falar sobre a divisão de "seu" Estado, Tupiassu, alega sem qualquer fundamento, que quer o Pará vasto, lindo e unido. O Pará já não é lindo professora; sua vastidão representa pobreza e exclusão; o Pará não está mais unido há décadas, sábia mestra. A senhora vive na ilha da fantasia? Ou é de sua índole a verborragia? Procure estudar antes de falar tantas asneiras. Isso é uma vergonha para uma acadêmica! Aproveitando o assunto, publico artigo do jornalista João Batista Silva, de Marabá, sobre o que ele pensa da raivosa entrevista publicada num pasquim que frauda o IVC na Capital da Ilha da Fantasia.

Em seguida, Val-Andre publicou o texto do Jornalista João Batista Silva, este sim um texto contrário e educado, civilizado. À agressão seguiu meu comentário:

Val-Andre, Val-Andre... Que grosseria. Esperava de você uma crítica que se mostrasse contrária, uma crítica com idéias, erradas ou não, mas as suas. Certamente seria respeitada, assim como esperava que respeitasse a crítica que minha mãe fez, corretamente sem ofensas ou baixarias. Venho lhe acompanhando faz algum tempo no Flanar e, realmente, adoraria ler, aqui, algo contrário ao que minha mãe escreveu. Mas não esperava esse nível. Por respeito peço: se não pode fazer um texto sem ofensas, não o faça. Sim! Se a única forma de mostrar sua opinião é ofender uma pessoa que você nem conhece, que nunca ofendeu ou fez mal a ninguém, e que somente expressou suas opiniões, não mostre.

Realmente uma pena, mas fica claro que quem não tem mais argumentos para discutir parte para a agressão barata e mesquinha, desprovida de idéias e da mais rasteira civilidade.

Engraçado que esse é um tema polêmico, cheio de discussões acaloradas, idealizadas e fundamentadas, mas é a primeira vez que vejo esse nível de baixaria. Por que a crítica que minha mãe fez lhe tocou de tal forma? Se você se sentiu ofendido por alguma coisa que ela disse, que tal conversar, argumentar?

Se quiser, não precisa publicar isso. E por favor, não considere esse comentário como um ofensa ou me responda com palavrões ou insultos. É apenas a minha opinião.

E ainda postagem no Blog da Franssinete Florenzano.

Não à intolerância e à barbárie

Amarílis Tupiassu, doutora em Letras e professora da UFPA, foi entrevistada por O Liberal na edição da quarta-feira, 28, e se posicionou contra a divisão territorial do Pará. De forma coerente e educada, alinhou suas razões, brandiu seus argumentos, terçou armas usando a inteligência e sua linha de pensamento. Exercitou, enfim, a cidadania. Foi o suficiente para ela ser violentamente atacada, ontem, no Blog Pelos Corredores do Planalto.

Penso que é preciso respeitar os pensamentos contrários, debater sempre no plano das ideias, conviver e aceitar as diferenças. É crucial, sobretudo, exercitar a tolerância e o bom senso. Não assiste razão a quem, ao invés de expor civilizadamente o porquê de suas convicções, derrubar a argumentação contrária através de fatos e fundamentos, parte para a agressão pessoal.

O assunto está bombando no twitter.

Uma pena tal falta de respeito, grosseria injustificada que, como disse Ney Messias em comentário no Blog da Franssinete, desqualifica o agressor. Fico agora esperando as ofensas que ele deve usar contra minha opinião.

26 comentários:

Val-André Mutran disse...

Você pode defender a professora e quem mais.
Eu defenderei o meu povo que é humilhado há décadas.
Pra vocês, não passamos de cidadãos de 5.a categoria.
Estou me lixando para Ney Messias et Caterva.

Tanto disse...

Quem diz que são cidadãos de quinta categoria é você, não eu. Isso, a meu ver, se chama preconceito ao contrário - alguém que é rude e grosso com os demais e justifica tal fato com base em um preconceito do outro. Não seria melhor refletir, Val-Andre?

Anônimo disse...

Val-André, personagem típico da "luta" separatista. Hoje um bravo cidadão em luta pelos direitos de seu povo, amanhã mais um Deputado, vereador, prefeitozinho... Quem sabe, a repetir tudo o que fazem aqueles a quem ele critica. Como ele vai refletir sobre o que fala se está cego pela ganância?

Val-André Mutran disse...

Ganância anônimo?
Político, eu, anônimo?
Fala sério.

Val-André Mutran disse...

A defender a professora você diz o que ela disse.
Assina em baixo.
Pra mim basta isso.

Val-André Mutran disse...

Tanto.
Ao concordar com os argumentos virulentos e desrespeitosos da professora, você assina embaixo o pensamento dela.
Refuto-os com argumentos que você poderá ler em meu blog.

Anônimo disse...

É bem interessante ver a fúria das pessoas que sonham em dividir o Pará. Mais interessante ainda é ver que por de trás de toda essa fúria, existe o interesse vil, mesquinho e essencialmente sujo que é o interesse político. Li a entrevista com a professora Amarilis Tupiassu e concordo com ela em gênero, número e grau ao ser contra a divisão do nosso estado. Aceitar a divisão do Pará é mancomunar com a redivisão da pobreza que fere a vastidão, a união e a beleza desse gigante que só precisa de um cuidado especial.

Manoel Leite
defensor do GRANDE Pará.

Alan disse...

Ao Val-André,
Prova maior de que é apenas um aproveitador, você, Val-André, dá quando diz que ganhou o seu dia com a quantidade de acessos em seu Blog. Prova de que não merece uma réplica, e sequer um levantar de dedos da professora Amarílis, você dá quando não consegue fazer uma concordância verbal em seu texto. Desça de sua empáfia quando acha que a professora Amarílis Tupiassu, vasta conhecedora da língua, literatura e cultura brasileiras, se abalará a lhe dar satisfações sobre o que escreve. Já aposentada, portanto, a ela não mais creditável o péssimo ranking de que se fala por aqui, a dita professora em questão se manifestou como cidadã, não como profunda conhecedora dos assuntos sórdidos da política paraense. Se você não conhece o conteúdo metafórico das expressões invadir e roubar, que são muito mais amplos que sua parca inteligência, irá passar o resto dos dias de sua miserável vida a tentar entender o conteúdo da fala da mestra. No mais, quem liga para sua incontestável arrogância? Amarílis seguirá seus dias, e continuará a ter, da comunidade intelectual, o prestígio que você jamais terá, mesmo entre os - que pensa que são - seus íntimos.

Alan disse...

Ao Val-André,
Prova maior de que é apenas um aproveitador, você, Val-André, dá quando diz que ganhou o seu dia com a quantidade de acessos em seu Blog. Prova de que não merece uma réplica, e sequer um levantar de dedos da professora Amarílis, você dá quando não consegue fazer uma concordância verbal em seu texto. Desça de sua empáfia quando acha que a professora Amarílis Tupiassu, vasta conhecedora da língua, literatura e cultura brasileiras, se abalará a lhe dar satisfações sobre o que escreve. Já aposentada, portanto, a ela não mais creditável o péssimo ranking de que se fala por aqui, a dita professora em questão se manifestou como cidadã, não como profunda conhecedora dos assuntos sórdidos da política paraense. Se você não conhece o conteúdo metafórico das expressões invadir e roubar, que são muito mais amplos que sua parca inteligência, irá passar o resto dos dias de sua miserável vida a tentar entender o conteúdo da fala da mestra. No mais, quem liga para sua incontestável arrogância? Amarílis seguirá seus dias, e continuará a ter, da comunidade intelectual, o prestígio que você jamais terá, mesmo entre os - que pensa que são - seus íntimos.

Tanto disse...

Val. Sinceramente, esse papo de "Eu defenderei o meu povo que é humilhado há décadas." parece discurso de político em campanha.

Manoel Leite, concordo com minha mãe em ser contra a divisão do Estado. Acho que a maioria dos divisores são pessoas que vieram de fora e querem a criação de um novo estado, seu, às custas do Estado dos outros. Já andei bastante por aquela região, por quase toda ela, na maior parte das vezes de ônibus, e sei bem qual o sotaque que se fala por lá. Obviamente há muito paraense, mas a maioria... E sinceramente, não acho que alguma coisa vá mudar com a divisão, não acho que alguma coisa vá ficar diferente com a criação de um Estado menor.

Tanto disse...

Alan, não acho que o Val-Andre seja um aproveitador. Acho que é alguém que defende suas idéias e interesses, mesmo que de uma forma rude e grosseira. A alegação de acessos ao blog, assim como a utilização de script para obter mais seguidores no twitter podem demonstrar, somente, uma alegria em ser lido por muitos.

De fato, minha mão falou sempre de forma metafórica, sem ofender ninguém. De fato, a fala dela não foi entendida e foi interpretada da pior forma possível, e rebatida de forma pior ainda. De fato, minha mãe achou engraçada toda essa polêmica e grosseria, e se limitou a rir. Obviamente não se dará ao trabalho de responder as ofensas e grosserias, pois está bem acima disso tudo.

Anônimo disse...

vc sabe onde posso ler a entrevista da prof. Amarilis? existe algum site?

ana.

Anônimo disse...

Quem é val-andré? Um ninguém para mim, ainda mais depois dessa!!! O cara não sabe se expressar sem ser rude, eu hein! Priscilla

Val-André Mutran disse...

Quem é Priscilla?
Quem?

Pris disse...

hahahahahaah, blog do Fernando está bobando com os mais de 1500 acessos só do "val-ninguém sei lá o quê" Grande campanha separatista o senhor "defensor e salvador da pátria" está fazendo. Desse jeito vais muitos votos conseguirás ...kkkkkkkkkk Ass. Priscilla "ninguém", muito prazer!

Anônimo disse...

Val-André é assessor de Giovani Queiroz, médico-ruralista e político que veio de fora para querer dividir o Pará. Giovani Queiroz é ponta de lança da bancada ruralista e defensor incondicional do trabalho escravo.

Pedrox disse...

Desde quando um assessor de político da BANCADA RURALISTA defende os interesses do povo, seu Val-André? Tu só queres o que é do interesse político do teu assessorado GIOVANI QUEIROZ (PDT-PA), rapá. Deixa dessa hipocrisia que todo mundo sabe que teu interesse é no CAPITAL ELEITORAL E FINANCEIRO disso. Queres ir para os corredores do SENADO, né? Ou quem saber para os corredores do Governo do novo estado, né? Quem não conhece política que te compre, rapá. E seja mais educado com opiniões divergentes, ok? Pelo menos a professora Amarilis EDUCA.

Pris disse...

Bom saber...bom saber...

Orlando Simões disse...

É incrívela capacidade dos políticos brasileiros em serem absolutamente medíocres...

Como disse uma professora dia desses parafraseando um autor que me escapa o nom agora: Todo mundo fala em nome do povo, exceto o povo que se cala.

Quer dizer que as pessoas que estãono poder para defender os direitos do povo, defender o povo e dar voz ao povo são exatamente as pessoas que querem que o povo se cale, se silencie e não emita opinião.

Francamente, vocês políticos deveriam entender que se pode calar o debate televisivo, o calar o debate na mídia impressa, no rádio, mas vocês nunca vão calar o debate político na internet.

Fazer o que esse tal Val fez é dar tão somente um tiro no pé. Veremos por quanto tempo gente assim vai continuar falando o que fala e fazendo o que faz.

Anônimo disse...

Ser separatista ou não, não é a questão! O fato é que o povo deve decidir que se faça ou não a separação. Ainda não tenho uma opinião formada sobre o assunto, mas sei também que existem interesses dos dois lados(interesses de crescimento da região). O que também não se pode aceitar e a Xenofobia! Se você são "civilizados" e defensores de uma opinião, não poderão agredir pessoas que vieram ao nosso Estado para agregar coisas boa! O Dep. Giovanni vocês não tem nada a falar de coisas ruins, ao contrário dos que são de nossa terra!(mensalão e sangue-sugas) Vamos sim discutir sem agredir! A Xenofobia É CRIME e espero que não aconteça mais isso!

Anônimo disse...

Aprendi muito

João M. de Oliveira disse...

Passando o olho pelos textos do tal Val-Andre, pude perceber bem a linha do moço.
Antes de mais nada, antes que venham dizer que sou uma espécie de "imperialista belenense", pontifico que sou nascido e criado, infelizmente, em Santarém, a "pérola do Tapajós" e possível futura capital de estado.
O que falta a Santarém é mais ou menos o que falta ao resto do estado, da região, do país: gente que preste, disposta a não roubar, já que disposta a fazer algo de concreto pela vida do povo é pedir demais.

A região do Oeste do Pará é uma merda não por não ser independente, separada, mas porque é simplesmente a réplica do resto do país. Melhor seria caso esse povo escroto que luta pela separação defendesse a diminuição de impostos, por exemplo. Ah, desculpa! O futuro e maravilhoso estado do Tapajós seria bancado pelos contribuintes de outros estados, mais ricos, mais sólidos e uma medida assim seria como um tiro no próprio pé, não é, Val-Andre?

O interesse de seus correligionários é o de enfiar a mão no bolso do contribuinte!

Diga se não é verdade que o seu interesse - e o dos seus correligionários - na criação do novo estado é o de meter a mão bem fundo na grana que receberiam, caso essa MERDA DE PROJETO fosse aprovada!

Espero que não entenda o meu pedido de resposta como a resposta em si. Não sei se fui claro...

Davi Benassuly disse...

http://amaic.blogspot.com/2012/01/vergonhacgu-e-pf-acham-indicios-de.html?spref=fb
este " senhor mutran, tem só pode obsseção em querer calar as pessoas de uma forma " AMEAÇADORA ", como ele fes no meu blog, e retruuei, meu caro senhor, todos aqui no Pará, ja sabem a verdade sobre esta meia duzia de politicos que queriam ancher seus bolssos com dinheiro publico, e deixo claro aqui, que além de não me intimidar, até mesmo por que não tenho medo, estou encabeçando uma grande campanha contra não só os politicos separatirtas, mais tmb contra os candidatos que venham com suas legendas, afinal, são todos marionetes do partido, e de suas raposas viciadas.

Davi Benassuly disse...

gente tem que fazero o que o blog www.amaic.blogspot.com , esta fazendo, pesquisem tudo sobre este tal de val mutran, e compartilhem, vamos informar o povo paraense destas raposas viciadas, isso eu tenho feito e buscado esclarecer a população, compartilhem em todas as redes sociais, se ele tiver sorte, consegue um emprego numa repartição publica qualquer, pois seu carater, demonstra que ele não esta preparado para esta ond esta. abraços.

Val-André Mutran  disse...

Vai procurar a tua turma cara.

Val-André Mutran  disse...

Estou sem dormir há semanas ao ler seu comentário Davi das quantas.