segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Precisamos de Ajuda

Quantos de vocês já receberam e-mail ou mensagens via Facebook ou Twitter pedindo ajuda para a criança tal, filha do fulano de tal, na distante cidade de não sei onde, que, sofrendo de uma doença terrível irá morrer caso não ajudemos? Provavelmente todos que estiverem lendo isso vão responder que já receberam algo desse tipo - e bem provavelmente uma grande parcela vai dizer que nunca mexeu uma palha para fazer algo para ajudar...
Num mundo como esse, o virtual, é tão fácil se criar uma história, um drama, uma vida ou uma morte, e a conclusão é que ficamos meio secos ou indispostos a ajudar quem quer que seja. Também há a justificada desconfiança, claro, diante de pedido para ajudar pessoas que nem sabemos se existem – ainda mais quando somos bombardeados com notícias sobre fraudes e engodos, pessoas de má-fé que usam a boa-fé dos outros para se dar nessa vida terrestre. Eu mesmo sempre fiz assim: recebo algo e logo duvido, nem me preocupo em saber mais pois sempre acho que é alguém querendo me enganar, alguma besteira que não merece meu tempo. Não sei quantas pessoas deixei de ajudar por conta desa minha atitude, mas ao menos tenho estado seguro aqui no meu canto, na minha zona de conforto instransponível.
E hoje, olhem só, apesar de sempre ter feito assim, sou eu quem mando a mensagem pedindo ajuda!

A Thaynara Freitas é uma amiga minha. Ela mora logo ali, em Ananindeua, e é uma pessoa maravilhosa – como toda sua família, por sinal. A Thaynara deu a sorte de, nesse mundo enorme, ter encontrado o Estevão, rapaz bom, amigo, trabalhador ao estremo, bom pai e bom marido. Desse encontro nasceu o João Pedro, um moleque que infelizmente acompanho crescer somente por fotos do Facebook, um moleque que acalentei no colo diversas vezes, que me babou um bocado e que está cada vez maior e mais bonito. Diante disso vocês podem imaginar minha felicidade quando soube que eles estavam grávidos novamente – outro menino que se chamaria Lucas. “Que bom”, pensei... “O mundo está precisando de mais pessoas boas mesmo”.
Acontece que a vida é cheia de surpresas e vive nos pregando peças muitas vezes sinistras – não importa quem você seja: faz pouco tempo, com cinco meses de gestação, a Thaynara percebeu que Lucas era quietinho, que ele não fazia tantas gracinhas e nem dava muitos chutes como tinha feito seu irmão. Preocupada, procurou um médico e teve a notícia ruim, como um nome quase impossível ao leigo –HIDRONEFROSE ACENTUADA BILATERAL. Em resumo, Lucas não estava conseguindo urinar e a bexiga estava completamente cheia de xixi, com o volume aumentado e causando incomodo. Por isso a escolha do bebê em ficar o mais quietinho possível, porque mexer fazia doer e sofrer mais. O médico examinou mais e percebeu que os rins estavam parcialmente machucados, e imediatamente deixou-os à par do que deveria ser feito: a colocação de uma válvula na bexiga do Lucas para que a urina pudesse ser eliminada - e isso tinha que ser feito o mais rápido possível ou o Lucas morreria. Para piorar tudo, esse procedimento NÃO poderia ser feito em Belém por falta de profissionais especializados na área de medicina fetal – e eles foram encaminhados imediatamente para o Dr. Waldemar Amaral, em Goiânia, GO. Com dificuldades eles compraram as passagens e se prepararam para os gastos que resultaria do procedimento. Em Goiânia ficaram na casa de pessoas que, conhecidas por acaso, foram maravilhosas e resolveram oferecer hospedagem.
No dia seguinte, o médico Waldemar achou que os rins do Lucas estavam muito feridos e, por isso, preferiu fazer mais exames antes de instalar a válvula. Mas também resolvou fazer uma drenagem da urina acumulada – e imaginem o que representa isso: um cateter perfura a barriga da mãe, segue perfurando a barriga do Lucas e, por fim, os minúsculos rins. Assim terminou um dia!
No outro dia, como a vida não é fácil, as notícias ruins não pararam: com o resultado da análise da urina recolhida, e com exames mais minuciosos do bebê, o médico sentenciou: “Thaynara, o exame comprova que os rins do bebê estão completamente parados e, por este motivo, não vamos poder colocar a válvula. Colocá-las seria um risco muito grande, tanto para o bebê quanto para ti. Há somente duas alternativas: ou não se faz nada, ou, de dez em dez dias, fazemos novas punção (retirar a urina da bexiga do bebê como foi feito para coleta do exame). Só que este processo não garante que seu filho, ao nascer, sobreviverá! Os rins de uma pessoa são órgãos dos mais nobres e necessários ao corpo humano, ou seja, ninguém sobrevive sem os rins. A chance dele nascer e não sobrevier é de 99%, mesmo porque, para a medicina, não há 100% nem 0%. A punçãoo é uma tentativa de obter uma melhora nos rins para ver se, por UM MILAGRE, eles voltam a funcionar.”
É da natureza humana não desistir, seguir em frente por maiores que sejam as dificuldades – ainda mais quando se fala de uma mãe, de uma pai, fazendo de tudo para tentar salvar um filho.
Só que, decidindo pela pulsão de dez em dez dias, mais uma surpresa nos bate à cara: não existe punção intra ulterina em Belém. O Centro mais próximo e qualificado fica em Goiânia, justamente na clinica do Dr. Waldemar Amaral. Ou seja: Thaynara e Estevão, mais a barriga cheia de Lucas, terão que ir a Goiânia de dez em dez dias para realizar o doloroso procedimento – e isso significa passagens, hospedagem, alimentação, gastos médicos e todos os outros gastos que possam surgir! Pelas nossas simples contas, até o nascimento do Lucas serão necessárias 48 passagens ida-volta.
Não são coisas baratas e os dois não são ricos, nem tem tanto que possa garantir tranquilidade ou mesmo a mínima viabilidade para fazer o necessário.

Resumindo, as coisas estão assim: Precisamos de ajuda para tentar salvar a vida do Lucas. Não temos certeza de que ele vai sobreviver depois de nascer – ninguém pode nos dar essa certeza – mas sabemos que podemos tentar até onde der!
Do que precisamos? Qualquer coisa!
Eles já têm as passagens de 20/11 e de 30/10.
Hoje me comprometi a dar as passagens do dia 10/12, mas ainda faltam as dos dias 20/12 e 30/12, e todas as outras que forem necessárias até que ele nasça - de dez em dez dias.
Da mesma forma precisamos de dinheiro: seja para pagar os procedimentos – que são caros -, quanto para arcar com passagens aéreas, estadia e alimentação, além de todos os demais gastos que forem necessários.
Por outro lado, se algum de vocês souber de um local que possa ser o porto seguro dos três em Goiânia, isso também serve (e muito). Pode ser a casa de um amigo, um quarto na casa de uma tia, qualquer lugar onde eles sejam recebidos e bem cuidados - e garantam uma economia com hotel. O que posso garantir é que quem os receber também vai ganhar muito, pois são pessoas maravilhosas e adoráveis.
Também, se você tiver milhas aéreas aceitamos – as passagens do dia 10/12, que eu dei, vão ser compradas com milhas. Infelizmente são muitas milhas, 20 mil para cada um deles, mas acho que não existe forma melhor de gastá-las do que ajudando uma mãe a tentar salvar a vida do filho.
Para terminar, afirmo que qualquer coisa ajuda – e ajuda muito: seja com uma prece, uma reza, um pensamento positivo, um telefonema, um RT ou um compartilhamento de postagem. Qualquer ajuda, por favor.
Só peço que não passem por esse texto de forma indiferente, que percebam que é alguém tangível, uma pessoa próxima de qualquer um de nós e que tem um problema real – se é que podemos chamar de problema, assim, simplesmente, a sobrevivência de uma criança.
Para quem quiser conversar diretamente com a Thaynara e com o Estevão, seguem os contatos: (91) 8291-0974 / 8336-2779 / 8764-1219.
Também, se quiserem passar alguma informação, tirar dúvidas ou perguntar como podem ajudar, não se acanhem e me liguem (91) 8131-2333 – e podem ligar a qualquer hora.
Por fim, um último comentário sobre doações em dinheiro:
Você não precisa doar mil reais!
Você não precisa doar cem reais!
Você não precisa doar 50 reais!
Você pode doar qualquer coisa, qualquer valor, por menor que seja.
Se 100 pessoas doarem 10 reais já teremos 1000 reais – e venhamos e convenhamos, é muito fácil doar dez reais.
A conta corrente da Thaynara segue abaixo:
Thaynara Freitas Corrêa
Banco Itaú
Agência 2939
Conta Corrente 22247-3

E se você achar trabalhoso fazer o depósito, basta avisar que eu vou até onde for para pegar a doação e entrego para eles - ou faço eu mesmo o depósito. Basta chamar.
​Desde já, obrigado a todos!

22 comentários:

Henrique F. disse...

Olá,

vim aqui sugerir que façam uma campanha no http://www.vakinha.com.br/

Fica mais fácil de compartilhar a causa pelas redes sociais, e geralmente se tem mais visibilidade.

Espero que tudo dê certo com o Luqinhas (:

Anônimo disse...

oie, tentei fazer transferencia santander-itau on line mas não consegui agora de noite, fiquei mto emocionada com a história e gostaria mto de ajudar, a ideia do site vakinha seria uma boa para facilitar q pessoas q moram longe ou são de outro banco também possam ajudar, de forma rápida e sem sair de casa, talvez até conseguissem uma maior abrangencia em redes sociais e msm pq com o cotidiano corrido nem todo mundo consegue ir ao banco. Mta força a esse bebe guerreiro. abraços.
GigiLemond

ITALO COSTA disse...

Tevão e Thaynara, muito meus amigos. Estamos juntos nessa

Anônimo disse...

Há um caminho pela rede pública de saúde chamado: TFD ( tratamento fora do domicílio). Tente se informar na sespa, é uma sugestao.

Camilla Araujo disse...

Ja estou na causa... vamos conseguir... postei esse texto no meu face... Amigos,

Vcs conhecem a minha luta em prol dos renais Cronicos, em prol da doação de orgãos, mais quando li este texto fiquei extremamente comovida primeiro pela vontade desse casal de mover "ceus e terras" para conseguir que o pequeno Lucas que ainda se desenvolve no ventre de sua mãe possa nascer, e segundo pela compaixão e amor ao proximo do amigo desse casal que pede ajuda em seu blog... por isso resolvi compartilhar com vcs dizendo que não é "picaretagem" meu "irmão" Bruno Fla e minha "cunhada" Julianne Freire estudaram com o estevao no Cefet em Belem, Por isso venho pedir a vc que faça como eu ajude como vc puder, ainda hj farei um deposito e tentarei de outra forma ajudar tb, nao precisa ser uma quantia absurda, nao precisa ser dinheiro tb, como no texto o q vc puder fazer que estiver ao seu alcance ja esta de bom tamanho. Fazer o bem sem olhar a quem...

Lucas vc ainda nao nasceu mais ja é muito amado! Força Thayna e Estevao que o senhor guie seus passos.

William Almeida disse...

http://www.vakinha.com.br/VaquinhaP.aspx?e=179040


Acessem e contribua

Oi Olá disse...

Amigos, estou muito emocionado com a situação do casal e do Luquinha, que tá sofrendo muito na barriga da mamãe dele. Sou pai e uma das minha filha está grávida (cinco meses) e jamais gostaria de passar por tal situação. Já estou preparando a doação e espero que milhares de pessoas se juntem e ACOMPANHEM essa grande vitória que conseguiremos juntos, salvando, se DEUS permitir, a vida do bebê!! 0,50, 1 real, 5 reais... o que vc puder, saiba que fará a diferença!!!

Anônimo disse...

Há um caminho pela rede pública de saúde chamado: TFD ( tratamento fora do domicílio). Tente se informar na sespa, é uma sugestao.

Vitória disse...

Estou tentando resolver a hospedagem! Tenho uns contatos de amigos por lá, inclusive, um deles q falei, disse que com o dinheiro da passagem, poderia se alugar um bom kit net pra eles até o bb nascer, até pq, vai ser desgastante pra ela no decorrer da gravidez! Poderiam pensar a respeito.

Vitória disse...

Estou tentando conseguir a hospedagem, tenho allguns conhecidos em Goiânia. Um amigo me disse que com o dinheiro da passagem, daria pra alugar um kit net bom por lá, pq não pensam a respeito? Até pq vai ficar desgastante no decorrer da gravidez, essa ida e vinda de lá, mesmo que seja de avião! Volto a comentar se conseguir, já deixando os números de contato. Boa sorte desde já!

Lívia Mendes disse...

Olá, uma amiga de Ourém me mandou este link. Sou de Goiânia e com certeza é mais viável financeiramente, que eles fiquem em Goiânia. Aqui é possível encontrar pequenas kitnets por volta de R$400. Alguém nesse estado não pode se deslocar milhares de km dessa forma. Além do mais existem igrejas e casas de apoio a pessoas nessa situação. Que podem ajudar com alimentação ou hospedagem. Vou procurar saber sobre essas casas e aviso.

@paulonaz disse...

Gracias pela visita como sempre, Tanto. Também vou dar minha contribuição para o Luke. Vamos cuidar do presente que o futuro é apenas uma questão de tempo (tum-dum-tss). Abraço.

Clausmir Muniz disse...

Olá
Boa tarde, para este fato triste ter apoio de mais pessoas aconselho a você e a quem mais estiver ajudando a colocar referências das pessoas envolvidas.Pois seria muito mais fácil ter a certeza de a pessoa existe. Desculpe se pareço insensível, mas como você mesmo escreveu vemos coisas do tipo todos os dias. Dei uma pesquisada pelo nome dela e não consegui achá-la, ele só tem o 1º nome. Acredito que eles não se incomodariam de seus perfis serem publicados na web; pois assim seria mais fácil de conseguir ajuda.Não estou dizendo que sua história é falsa, só quero que entenda que quando as pessoas podem ter certeza de que o fato existe e se tem pouco tempo pra resolver você ganha mais crédito no assunto.

Tanto disse...

Clausmir, os telefones estão à disposição, tanto o meu quanto dos pais. No mais, caso a comprovação via internet seja suficiente, basta procurar os perfis dos pais ou o meu no FaceBook(Fernando Gurjão Sampaio). No mais, qualquer pessoa pode ter dúvidas quanto a doar ou não. Esse critério independe da gente aqui ou de qualquer coisa que seja lida.

Por fim, a mera publicação do nome das pessoas que estão ajudando não confere credibilidade alguma aos fatos - tais nomes também podem ser inventados. As pessoas que estão doando, na sua grande maioria, preferem que seus nomes estejam em sigilo pois acdita que doação não é promoção. Por isso não divulgamos.

Clausmir Muniz disse...

Fernando, Bom dia, o seu nome eu encontrei no facebook o dos pais não.Desculpe se me expressei mal, quando me referia a pessoas envolvidas não quis dizer a quem está ajudando, pois sei que não é promoção que buscam. Meu comentário anterior foi pelo fato de não conseguir encontrar o perfil dos pais. O que seria uma consulta mais fácil de se fazer do que fazer uma ligação; não pela ligação em si, mas pelo fato de poupar um pouco os pais de ficar explicando a muitas pessoas o mesmo fato. Não queria criar uma polêmica aqui, só tinha a intenção de ajudar.

É PRECISO DE BONS MOMENTOS PARA SERMOS FELIZES disse...

http://www.facebook.com/thaynarafreitasc esse é o fece da thaynara de uma olhada.

É PRECISO DE BONS MOMENTOS PARA SERMOS FELIZES disse...

http://www.facebook.com/thaynarafreitasc tem duvidas acesse.

É PRECISO DE BONS MOMENTOS PARA SERMOS FELIZES disse...

http://www.facebook.com/thaynarafreitasc

Nicole Pinho disse...

eU CONHEÇO O eSTEVÃO, ESTUDOU COMIGO ACHO Q NO CEFET. GOSTARIA DE SABER SE ELES JÁ DERAM ENTRADA NA JUSTIÇA PARA QUE A MOÇA FAÇA O TRATAMENTO, POIS ELES TEM DIREITO. É UM ABSURDO QUE O GOVERNO OS DEIXE A PRÓPRIA SORTE. FAREI ORAÇÕES POR VCS, QUE DEUS OS ABENÇOE!

Elaine disse...

Conheço o Estevam por quem tenho grande admiração... Sei o amor que ele tem um grande amor pela sua familia... Que Deus os proteja e os abençoe...

Angélica Fonseca disse...

Eu queria saber como está a situação. Temos acompanhado o caso e queremos saber do bebê, da mãe...

Rizaldo Souza disse...

Hoje se passam 1 ano e quase dois meses da noticia do quadro de saúde do Lucas. Narrado por nosso amigo Fernando. Que neste momento gostaria de agradecer-lhe pela força, pelo apoio e carinho que nos deu, como também a todos aqueles anônimos ou não que nos ajudaram. Se pudesse resumir em sentimentos de gratidão lhes digia do fundo do coração; DEUS ABENÇÕE A CADA UM, LUZ, SAÚDE, PROSPERIDADE E MUITA PAZ. Isso que lhes deseja é o Pai do Estevão e Thaynara, porque ganhei essa filha e do meu Guerreiro Netinho Lucas. E também eles lhes desejam. O Lucas hoje conta 8 meses e daqui á 4 dias fará 9. Esta morando em Cutitiba-PR, desde dezembro de 2012. O DR.Waldemar, médico de Goiânia, o desenganou e por isso recorremos a um Hospital em Curitiba por recomendação de um amigo-irmão Willian, com o nome de PEQUENO PRINCÍPE, onde o Lucas nasceu e faz tratamento. Tem suas funções renais limitadas a 45% de funcionamento dos dois rins. Continuará em tratamento,ainda por tempo indeterminado. Apresenta algumas dificuldades como: refluxo, intolerância a lactose, tem dificuldade em ganhar peso. Mas a cada dia o amamos mais e meus filhos tudo fazem de tudo fariam novamente o que preciso for,para tê-lo entre nós.Passado esse tempo só temos a agradecer a Deus pelas bençãos e dádivas enormes. Pelos amigos, parentes, conhecidos, desconhecidos, enfim por todos que nos ajudaram e continuam dando uma força para lutarmos, que ainda tem muito caminho pela frente. Para aqueles que citaram o TFD(tratamento fora do domicilio) fomos contactados pelas SESPA que encaminhou para a Secretaria Municipal de Ananindeua, isso em dezembro de 2012,onde o responsável alegou que estava sem orçamento em função de fim de mandato do Prefeito e que em 2013 poderia ser atendido. Como o caso era de urgência urgêntissima, não esperamos. E hoje meu neto esta ai para contar a história e mais uma vez confirmar o descaso da saúde pública em nosso estado do Pará e no município de Ananindeua. Só para que seja aqui noticiado procuramos novamente a Secretaria de Saúde de Ananindeua, que dessa vez não poderia fazer nada porque os beneficiários teriam que ter ido para Cutitiba por conta do programa, como não foram,teriam que voltar para Ananindeua e voltar para Curitiba novamente, por conta do programa para ter direito aos recursos. Como uma mãe agora com uma gravidez de risco, com o feto quase em sofrimento faria todo esta sacrifício/exigência para ter direito somente a passagem de ida e uma ajuda de custo que mal daria para uma refeição. Não vou falar o que penso para não diminuir e desqualificar a grande ajuda que obtivemos, que foi tudo o que precisávamos para se obter a graça divina. Deus abençõe a todos aqueles que nos ajudaram com orações, recursos, milhas, hospedagem, amizade, incentivo, palavras de encorajamento. Fica aqui os contatos para qualquer esclarecimento.
Thaynara (mãe): (41) 9667-7098, Estevão (Pai): (41)9622-0488. Rizaldo Souza (Avó Paterno): (91) 8128-0470