quinta-feira, 29 de novembro de 2012

A execução pública de Karina Veiga - O que te define?

O enredo é antigo e batido: ocorre a traição e o ser traído, para se vingar, arma alguma situação constrangedora para o traidor. Mil livros, filmes e músicas sobre o tema perambulam pela terra meio sem rumo, bastando escolher o que mais nos agrada... E apesar de ser enredo de ficção, venhamos e convenhamos, não é nada tão distante da nossa realidade: quem aqui não conhece ao menos uma história, ou não viveu algo parecido com isso. Normal que seja assim. O problema é quando essa dita situação constrangedora deixa de ser somente uma simples situação constrangedora e passa a ser crime - e, pior, acaba revelando facetas negras da nossa personalidade e do entendimento comum que temos das coisas. Vamos ao fato: menina trai o namorado; namorado resolve se vingar e lembra, oportunamente, que num belo dia haviam transado e resolveram fazer umas fotos de lembrança, um souvenir inocente de um momento agradável para os dois. As fotos estão ali, bem ao alcance das mãos - e de repente a vingança boba, a lição de moral quase um tapinha na mão da criança tola se torna um ato de ódio indizível. A menina tem 16 anos, mesma idade do namorado traído, ambos moradores do Amapá, e a forma de divulgação do "susto" foi um perfil falso no Facebook. Foram 25 fotos que tive o desprazer de ver, 25 imagens ali estampadas e mais um vídeo, cada uma delas com vários compartilhamentos e mais de 800 comentários... O que vi foi praticamente um linchamento público que me tirou o sono (vide horário desta postagem). E como tudo mais, não demorou nada para o perfil falso cair no Twitter - onde logo se tornou o assunto mais comentado do planeta. Isso mesmo: as fotos do momento íntimo do casal, assim como a briga toda, rodaram o mundo em poucos minutos e fizeram história. É caso de polícia - e a polícia tem como encontrar responsáveis e impor, ao final, junto com o judiciário, alguma punição... Não deve ser muito, o papo de sempre de "menor potencial ofensivo", Juizados, serviço ou cestas básicas, mas ao menos será uma punição. Punida mesmo restou a menina, vítima de tudo de ruim e de pequeno que povoa a cabeça do brasileiro médio: não foram poucos os comentários chamando-a de puta, vagabunda e outros tantos adjetivos desonrosos. Montagens foram feitas, comunidades foram criadas e uma vida normal foi praticamente paralisada. Contra o menino traído foram poucas as vozes. As que ousaram acabaram sendo taxadas de idiotas, otárias ou sem graça. "Não sabiam brincar", diziam alguns. "É triste, mas estamos somente nos divertindo, nos deixem em paz", disseram outros. E no meio disto tudo surgiram milhares de tuites mencionando o nome da adolescente, inclusive com divulgação de seus telefones e endereço. E o que mais me chocou foram as mulheres... Num mundo firmemente machista, triste ver outras mulheres dizendo o que diziam. De vagabunda para baixo, certeza quase unânime de que "ela fez por merecer" - "afinal, quem manda trair?" Teve mesmo uma que disse: "E quem defende essa puta também defende traição". Num momento eu postei a seguinte mensagem: O que te define é o que você faz quando ninguém está vendo. Nisto me respondeu um seguidor: "isso também vale para a menina". Ou seja: para uns a menina teve culpa, claro! Foi puta, estava transando, estava fazendo sexo com o namorado, coisa de puta, sabem? Porque mulher mesmo, dessas honestas, não faz nada disso... Mulher honesta, entre quatro paredes, só reza. Quem transa mesmo é puta - e transar com o namorado te define assim. E machismo idiota é achar que ela teve culpa de algo, ou por ter transado, ou por ter confiado no menino. Entendam: ela não pode e nem deve ser definida por algo que fez quando ninguém via - o que ela fez foi transar e confiar. Ele sim, sem dúvida, deve e será definido por algo que fez quando ninguém via - afinal de contas, ser mau-caráter, em qualquer situação, sempre te definirá como mau-caráter.
P.s.: só um adendo (feito uns minutos após a publicação do texto) - já tem gente, e não são poucos, apostando no suicídio da meninas. Apostas feitas, apostas encerradas.

23 comentários:

Laris disse...

Concordo com tudo o que você disse, é muita hipocrisia da sociedade falar mal da menina, como se o babaca que fez isso com ela estivesse certo. Triste

Anônimo disse...

E viva o mundo machista! E viva o patriarcado!
Viva o mundo onde a culpa é sempre da mulher!
REVOLTANTE!

Já tivemos, há não muito tempo, dois casos de suícidio, onde aconteceu quase a mesma coisa. Em todos eles. Espero que a história não se repita.

Bosco disse...

O machismo, pai da homofobia é filho da misoginia que é a essência do cristianismo patriarcal onde a mulher já nasce com a pecha de sedutora e corruptora do homem.

Anônimo disse...

Muito inteligente o seu texto.

Infelizmente em uma situação dessas vemos que o Brasil é um país atrasado, sem cultura, medíocre e hipócrita, a população não raciocina, vai de acordo com a massa,.. quem para e pensa um pouco, fica indignado com certas coisas. o melhor é sentar e observar, já que sozinhos, nada podemos fazer a não ser sentar e observar. Bom dia a todos!

Diego Goes disse...

O texto está sensacional. Só não curti o nome e sobrenome da menina no título do blog. Vai de encontro à parte do texto que diz "[...] no meio disto tudo surgiram milhares de tuites mencionando o nome da adolescente".

Lalá disse...

Muito bom seu texto e sua abordagem. Fiquei indignada com o falso moralismo da nossa sociedade, e assim como você disse, o machismo afirmado pelas mulheres. Gente, toooodo mundo transa, se não a nossa espécie já estaria extinta! A garota estava transando com o namorado dela, ela tem direito de sentir prazer, assim como qualquer pessoa. E cá entre nós, ela não fez nada além do que o sexo entre casais acontece...sexo oral, exibição para o parceiro, todo mundo faz, todo mundo gosta. Gente sexo é sexo, tem que dar prazer! Agora, o cara é mau-caráter, não teve atitude de homem, e quem paga o pato é a menina? A gente não sabe o motivo dela ter traído, e nem se quer se isso aconteceu. Mas isso não dá o direito dele expor a intimidade dela! Isso sim é falta de moral. Acho que deveríamos utilizar a internet para combater essa idéia da sociedade machista, e hipócrita!

Tanto disse...

Pensei muito sobre colocar ou não o nome, Diego Goes, mas depois pensei: todo mundo que joga pedra usa o nome dela sem dó nem piedade. Se eu pretendo defendê-la, acho que também devo usá-lo. Pensei na questão da privacidade da menina, mas também cheguei à conclusão de que não existe mais privacidade para ela, não somente em relação ao nome, mas em relação a tudo. Não vou afirmar que fiquei 100% tranquilo por usar o nome dela, mas acho que é jogar de igual para igual com quem fala ruindades.

Anônimo disse...

Então, também acompanhei o caso durante a madrugada e perdi o sono pois o caso foi realmente perturbador. Feita a minha denúncia à página da PF, parei e refleti sobre o assunto, eis que chego a tais conclusões: 1) mulheres xingando a Karina de vagabunda e tudo mais estão sendo acusadas de falsas moralistas e mimimi dos sem argumento. Não duvido que várias mulheres que falaram mal da Karina façam o mesmo entre quatro paredes e até vão mais além, porém, como pessoas de bom senso e maduras para tal, fazem disso um momento de prazer a dois para ser aproveitado naquele momento e ficar na lembrança do casal. Quem se arreganha pra uma câmera sabe que corre o risco desse material se tornar público, vide Carol Dieckmann. 2) Não estamos falando de uma mulher, e sim de uma adolescente psicologicamente imatura para entender a importância e as responsabilidades que o sexo carrega consigo. Não é apenas só meter que te faz uma mulher, como ela deve pensar, e a imaturidade está estampada pelo simples fato de ter deixado ser filmada por outro imaturo. Logo, se a Karina se acha mulher o suficiente pra sexo anal, boquete e filmezinho pornô, ela que esteja preparada para as consequências incutidas nisso, pois com 16 anos ela deveria estar pensando em estudar, se relacionar com meninos de forma saudável (ou seja, desenvolvendo relações de afeto e respeito). 3) Contrariando toda a lógica de uma pessoa que namora e faz sexo com o seu afeto (que seria estreitar laços de amor e confiança e tornarem-se mais íntimos), ela vai lá e trai o namorado que conhece ela de cabo a rabo, literalmente. Além de imatura é burra, e potencialmente uma puta e vagabunda, e das bem chinelonas! Enfim, esse namorado dela tem que sofrer as devidas punições legais e defendo isso com unhas e dentes, mas que a culpa dela nisso tudo é indiscutível, isso é. Como já disse, sexo envolve muitas responsabilidades e muda as pessoas, pois pra quem realmente sabe aproveitar é um momento único de prazer mútuo - coisa que a Karina não deve entender muito bem, pois o comportamento dela é bem típico daquelas mulheres que acham que devem fazer tudo que o homem pede, focando-se somente no prazer deles - de pessoas que de identificam de alguma forma e se respeitam para isso. A Karina não mostrou respeito pelo seu próprio corpo e pela sua integridade moral ao deixar ser filmada. A banalização do sexo (que na minha opinião leva ao sexo precoce e sem nenhum nexo) não é sinônimo de liberdade, assim como a moralização não é sinal de machismo. E quando eu falo em moralização eu não digo que as pessoas não devem transar, mas sim demonstrar respeito e passar segurança ao parceiro - o que nem a Karina fez traindo o namorado e nem o namorado expondo-a cruelmente. Seja lá o que estiverem fazendo entre quatro parede, deve permanecer entre quatro paredes Pessoas imaturas e câmeras... até quando?

Anônimo disse...

Excelente texto!
Sinceramente não sei o que esperar de bom dos seres humanos quando ligo o computador e me deparo com esse tipo de "justiça" virtual.
O que passa a família numa hora dessas?

Cyneida disse...

E a sociedade sendo machista em todo lugar. Aqui em Roraima dois casos identicos semana passada, envolvendo também menores. E é claro, a culpa foi toda delas, pq ninguém faz sexo ou fotos de intimidade.... Deprimente é a única palavra que define e agora é esperar que nossos filhos sejam diferentes...

Ygor disse...

Anônimo começou bem mas se perdeu no falso moralismo também.
Por gentileza, desçam do muro e parem de fazer o meio-termo: "o namorado agiu errado mas ela também é vagabunda e burra, deixou filmar, né". Ao mesmo tempo que vocês dizem que ela pode fazer o que quiser, ela não devia ter feito isso?
Sociedade cretina.

Anônimo disse...

Ygor, não acho que uma pessoa que atribui a culpa aos dois esteja em cima do muro. Os dois agiram errado: ela sendo burra em deixar ser filmada e não se respeitar, e ele em ter cometido o crime. Simples assim. Aliás, todo mundo adora se referir ao texto falso moralismo, mas sequer sabem a importância da moralidade em tempos em que os valores se perdem totalmente. Acho que a longa opinião do Anônimo foi até bem concisa.

Anônimo disse...

Ygor, tu estás confundindo liberdade com libertinagem. O que é falso moralismo para você? Criticar uma pessoa que faz sexo e também fazer sexo? Isso não é falso moralismo. E ao mesmo tempo que tu diz que as pessoas estão em cima do muro, tu não te posicionas a respeito. Isso é bem pior. Cada um faz o que quer sim, desde que saiba encarar a consequência dos seus atos. Então, se ela deve estar envergonhada nesse momento por conto das fotos e vídeos publicados, logo ela não deveria ter feito.

Anônimo disse...

A filmagem e o sexo foram consentidos. Ela tem culpa nisso, e o nome disso não é falso moralismo, é pragmatismo!

Tanto disse...

Anônimo das 10:12: a publicação, ela também a quis? Quer dizer que pelo seu pragmatismo ela tem sim, no final, culpa?

Mariana disse...

Nao concordo com você, acho que você interpretou as pessoas errado. Elas estavam chamando ela de puta nao por ter feito o video, e as fotos, afinal, era namorado dela e sexo todo mundo faz! Menina direita faz, mulher casada faz. Acho que as pessoas gostaram da menina ser humilhada por ter traído ele. Vamos lá, nao apoio de jeito nenhum isso que ele fez, foi ridículo e infantil (mas é claro que foi, ele tem 16 anos minha gente, neném fazendo neném), mas acho que as pessoas se realizam quando vêem o quão cruel foi essa vingança, e o quanto gostariam que se elas fossem traídas, o traidor tivesse uma punição tao sofrida ou mais do que a dor que a pessoa sente ao ser traída, achou que é até meio inconsciente. Vamos lá, quem é traído e quer que o outro seja feliz!? A vontade do intimo mesmo é ferrar com a pessoa de alguma maneira, sempre pensamos que nao é justo só a gente passar por esse sofrimento. Mas quando somos adultos, pensamos bem, e vemos que o melhor é sair por cima, deixar para lá, nao gastar energia com isso. Mas ele é uma criança, nem pensou Na grandiosidade do que fez expondo a menina assim. Sei lá, acho que os jovens deviam ser bem instruídos com relação a isso, pois começar a ter relações assim sem ter maturidade dá nessas coisas, dá em gravidez, em doenças, pois eles ainda nao tem responsabilidade nem sabem o que é o mundo de verdade. Nao culpo ele, na verdade, ele agiu como a idade dele. Ela foi bem escrotinha traindo e infantil como ele em confiar uma foto e video desse nele, que nem cabelo no suvaco deve ter. Bem... É o que eu acho, beijos

Unknown disse...

A questão não é se ela se deixou filmar ou não. Era um momento íntimo para ambos,suponho eu que os dois se divertiram tanto no ato sexual, quanto em criar o registro daquele momento. Mas em momento nenhum isso o autoriza a divulgar aquelas fotos e vídeo ou expor a moça. Não é novidade que com o sexo vem novas responsabilidades, assim como também é público e notório que há sempre o risco de vazar esse tipo de registro. Mas ela confiava no parceiro, e digo que confiava pq ninguém se exporia dessa forma para alguém em quem não confiasse, e ele sim traiu a confiança depositada, ele sim agiu de forma imatura, ele sim não sabe lidar com as consequências de uma vida sexual ou de uma vida amorosa. A garota é uma vítima tanto de um rapaz desequilibrado quanto de uma sociedade falsa moralista, injusta e cruel.

Unknown disse...

A questão não é se ela se deixou filmar ou não. Era um momento íntimo para ambos,suponho eu que os dois se divertiram tanto no ato sexual, quanto em criar o registro daquele momento. Mas em momento nenhum isso o autoriza a divulgar aquelas fotos e vídeo ou expor a moça. Não é novidade que com o sexo vem novas responsabilidades, assim como também é público e notório que há sempre o risco de vazar esse tipo de registro. Mas ela confiava no parceiro, e digo que confiava pq ninguém se exporia dessa forma para alguém em quem não confiasse, e ele sim traiu a confiança depositada, ele sim agiu de forma imatura, ele sim não sabe lidar com as consequências de uma vida sexual ou de uma vida amorosa. A garota é uma vítima tanto de um rapaz desequilibrado quanto de uma sociedade falsa moralista, injusta e cruel.

Anônimo disse...

Otimo texto Fernando e concordei totalmente com sua abordagem.

Relacionamentos acabam todos os dias e não importa o motivo ( traição da menina ou não ) a atitude dele não pode/deve ser justificada por isso ( como ví num comentário acima ). Merece punição!

Wmello

Anônimo disse...

Vivemos em uma sociedade machista. Quem nunca ouviu aquele comentário: Ela provocou isso pq estava vestida de uma forma vulgar; a mulher é vista assim, seja ela, vítima ou assassina, sempre a história terá uma única culpada por tudo.

Anônimo disse...

"Além de imatura é burra, e potencialmente uma puta e vagabunda, e das bem chinelonas! Enfim, esse namorado dela tem que sofrer as devidas punições legais e defendo isso com unhas e dentes, mas que a culpa dela nisso tudo é indiscutível, isso é".

Mente atrasada muitas vezes se reconhece pelas palavras chulas e pelo tom agressivo e arrogante: "isso é indiscutível". Que eu saiba "indiscutível" se refere a algo em que não possa haver discussão/divergência, o que não se aplica a nenhum tema, pois a verdade absoluta não existe, simplesmente porque o ser humano possui valores os mais variados. Certamente, pela agressividade do discurso, o "anônimo" deve ter tido uma experiência desagradabilíssima com alguma companheira, é uma hipótese rsrs (ou pode ser tbém apenas mais um machista, ou quem sabe as duas coisas). hahaha

Qto ao texto do blog, EXCELENTE, graças a Deus que ainda há homens sensatos e inteligentes. Mto bom poder acreditar que ainda existem homens de verdade!!! Abraços.

Elisa

Marcio disse...

O cu é dela ela da pra quem ela quiser !!

se ele fosse meu filho nunca mais usava internet!!

Tatiana Vasco disse...

Parabéns pelo texto!!! Exemplar! Assino em baixo.